Título: Suprema

Autor: Danilo Morales

Editora: Publicação Independente

Páginas: 192

Ano: 2018

Nina tenta a sorte grande na cidade. Tem desejo de ascender de classe, e vê em Angelique uma oportunidade. Ela a introduz no mundo da magia, e desperta o seu lado maligno, que estava adormecido. O passado bate a sua porta e traz consequências irreversíveis.

Se eu li um livro de terror na minha vida foi muito, então Suprema acabou sendo algo novo e diferente do que estou acostumada a ler. Porém, se tratando de alguém que já viu bastante filmes de terror, o livro é um pouco de “mais do mesmo”, só que uma versão abrasileirada. Sim, Suprema é um livro de terror nacional! É uma leitura interessante!

Preciso dizer que fiquei decepcionada com a cronologia do livro, não é confusa, mas é apressada. A história toda é muito corrida, tudo se passa depressa demais e com poucos detalhes. E é engraçado justo eu reclamar da falta de detalhes, quando costumo detestar detalhes demais! 

Gostei que houve um pouco de representatividade no livro, falando sobre a transexualidade, apesar de não ser nada aprofundado, foi uma coisa que acabei vendo a primeira vez em um livro. Também aborda o bullying e as dificuldades da pobreza, o que acaba sendo interessante o autor abordar alguns dos problemas sociais que afetam o nosso cotidiano.

Em contrapartida, como foi comentado no grupo da leitura coletiva – sim, eu li um terror nacional em uma LC – o autor aborda assuntos sensíveis (como estupro) de forma leviana, o que acaba contando como um ponto negativo para a obra.

Algumas cenas são simplesmente bizarras, que é o que se espera de um livro de terror, então foi bem interessante ler tais coisas. Apesar de ter dito que muito do que li, eu já tinha visto em filmes de terror, é uma experiência diferente ler a cena! 

No todo, o livro não é ruim, só é diferente do que estou acostumada a ler. A história é definitivamente para maiores de 18 anos tá? Pra quem gosta do gênero, será uma boa leitura, acredito. Pra mim foi rápida e fluída.

E você, já leu algum terror brasileiro e gostou? Comenta aí!