Eu cresci lendo capricho, atrevida, todateen, dicas de como se vestir para ir em algum evento especifico, como falar com aquele boyzinho que estava afim, ler o meu horóscopo e acreditar com todas as forças que aquilo foi escrito especialmente para mim (uau!!)
E meu sonho era ser uma dessas colunistas que levavam esses sentimentos de aconselhamento as suas leitoras, foi uma das coisas que me levou desde nova a querer fazer jornalismo. Na minha mente, eu iria virar jornalista, me mudar para São Paulo e escrever para uma grande e importante revista. Mal sabia eu que antes dos meus 18 anos, quase ninguém mais teria interesse pelo impresso, as revistas acabariam e seria tudo digital.

The Bold Type, me trouxe um pouquinho do gosto daquela época.
Essa série que mostra 3 melhores amigas, que trabalham juntas em um revista para mulheres, e super engajada, a Scarlet.
Vamos começar pela 'pequena' Jane Sloan (Katie Stevens), que desde nova era fã da revista, adorava receber os conselhos que vinham dela como se fosse uma irmã mais velha, e consegue o emprego de seus sonhos como redatora. Temos também a Kat Adison (Aisha Dee) responsável pelas mídias sociais da empresa, sempre arranja um jeito de usar esses meios como forma de ajudar o mundo, ela é forte e destemida, sempre lutando pelo que acredita e se conhecendo a cada dia mais; e por fim temos a estilosa Sutton Brady (Meghann Fahy), no início não muito satisfeita na área que representa, consegue finalmente sua posição como assistente de Oliver, o responsável pela parte de estilo da revista Scarlet, ela é genial, faz de tudo para alcançar o lugar que almeja dentro da revista, mesmo que isso queira dizer horas sem dormir.
 

Jane, Kat e Sutton


Agora vamos a minha preferida, editora chefe da revista Scarlet, Jacqueline Carlyle (Melora Hardin), a versão gentil de Miranda Priestly de Diabo Veste Prada.
Ela é realmente o sonho de chefe de qualquer funcionário. Sempre tenta ver o ponto de vista de seus escritores, tem interesse no que eles tem a dizer, claro, da alguns puxões de orelha, mas sempre com alguma mensagem super relevante.
A série é inspirada na vida da ex editora-chefe da Cosmopolitan, Joanna Coles.

A Scarlet é incrível, mas assim como seus funcionários, ela passa por mudanças durante cada temporada. Iniciamos com uma revista totalmente com foco no impresso, todo aquele ânimo para a capa perfeita, redatores engajados, sendo sua principal rede social o Twitter.
Com o tempo isso vai passando, mais fotos no twitter, conta no instagram sempre atualizada, até que o impresso sai de linha e a Scarlet vira 100% digital, tendo seu próprio site online.

Redação Scarlet


Estamos acostumados a séries femininas, ainda mais que se passam em Nova York como um clichê romântico. Não que The Bold Type não tenha romance, mas vai muito além. 
Fazia tempo que uma série não me prendia dessa maneira.
Temas que vivemos no dia-a-dia como jovens adultos são mencionados em cada episódio. Temos a Kat na primeira temporada se descobrindo lésbica, após conhecer Adena (Nikohl Boosheri), uma fotografa lésbica e muçulmana que mudou a sua vida. Jane, que descobre ter o gene BRCA1, pois a mãe faleceu quando jovem de câncer de mama; e temos a Sutton, que ainda não se sente estabilizada, não sabe ao certo o que quer fazer, vive em um mundo de incerteza profissional, e sobre o futuro pessoal. E quem nunca se sentiu assim?

Além de temas como LGBTQ+, câncer, vida profissional, a série fala sobre tantos temas do cotidiano, que geralmente são deixados de lado: posicionamento político, meio ambiente, relação sexual, racismo, casamento, dst e tudo sempre de uma maneira leve e natural.
The Bold Type é uma série original da Universal Television que estreou em 2017 na Freeform, um canal dos Estados Unidos. Porém ganhou grande sucesso ao chegar a Netfilix, atualmente com quatro temporadas disponíveis.
Já com a quinta e última temporada pronta para estreia, essa semana, no dia 26 de maio. Porém infelizmente ainda deve demorar um bom tempo para chegar a Netflix.

Se você quer uma série com a pitada correta de comédia, leve, descontraída, mas que também sabe abordar na medida certa assuntos importantes e relevantes The Bold Type é perfeita para você.